Bruno Nogueira

Blog sobre o grande (enorme) Bruno Nogueira, o melhor humorista português de todos os tempos! Neste blog iras encontrar sobre o "Bruninho", desde fotos, vídeos do levanta-te e ri onde participou e outros, saber todas as novidades! Este é um blog para todos os fans do Bruno Nogueira.

terça-feira, novembro 13, 2007

Bruno Nogueira - Incorrigiveis - Video 9

Bruno Nogueira fala de uma "nova doença" segundo Margarida Cordo... no vídeo o Bruno Nogueira satiriza também os sintomas e a recuperação da doença... está hilariante!

5 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Bruno,

Sou um grande fã do Teu trabalho e sempre elogiei a Tua capacidade critica e o novo Humor que criaste no Nosso país!
A capacidade inteligente que tens de pegar em situações caricatas e nas vicitudes da nossa sociedade e fazer delas um humor que não é sarcástico e que prima pela critica construtiva é e sempre será reconhecida por isso.
No entanto considero que a análise que fizeste desta noticia é sem duvida demasidado intempestiva. Bem sei que aquilo que foi escrito na Visão é sem dúvida muito sensível no que toca à Homosexualidade e que a frase "A Homosexualidade é uma doença, que tem cura" é demasiado agressiva e que obviamente fere susceptibilidades de pessoas cuja orientação sexual é diferente e que têm que ser respeitadas acima de tudo!
Contudo tem que se ter em conta que se trata de uma profissional que tem créditos firmadíssimos na Psicologia, que tem feito trabalhos fantásticos junto do alcoólicos e dos toxicodependes, dos Homosexuais, das familias, dos doentes mentais, etc. Pesquisa por favor os Livros que ela já editou e perde um minuto, assim como perdeste a ler essa noticia da Visão a le-los e depois diz-me se achas se seria capaz de dizer tamanha barbaridade.
Para informção de todos os leitores deste Blog esta revista adulterou completamente aquilo que foi realmente dito e considero que este caso merecia uma reflexão por parte dos Seus leitores relativamente à veracidade de noticias semelhantes a esta!
Esta situação já esta a ser analisada com o editor desta revista, para que este caso seja esclarecido, uma vez que uma revista com tamanha projecção como a Visão não pode e não deve criar situações dubias como esta!
É o nome de uma excelente profissional, que merece todo o Nosso respeito, que é exposto apenas pelo interesse jornalistico em criar polémicas e lançar a confusão!
Um abraço

André

7:49 da tarde  
Blogger Webmaster disse...

Obrigado pelo teu comentário André, é sempre bom esclarecer as coisas.

Cumprimentos!

1:24 da manhã  
Blogger André disse...

Bruno,

Muito obrigado por tere publicado o meu post e inclusive por o teres comentado!

Pedia-te o favor também de, caso sintas que é pertinente e justo faze-lo, publicares a carta que foi enviada pela Dra. Margarida Cordo ao Director da Revista Visão no passado dia 11/11/07.

O que ainda se torna mais ridiculo neste assunto é esta Revista nem ter tido a preocupação em publicá-la como pedido de desculpas pela borrada que fizeram.

É assim que se define o profissionalismo Jornalístico Português...Enfim!!

A carta é:

Exmo. Senhor Director da Revista Visão

Dirijo-lhe esta pequena mensagem para lhe solicitar que dê atenção a um trabalho publicado no seu último número – “Estranhas Alianças”. Disponho de muito pouco tempo e também não quero fazer-lhe perder o seu. No entanto é fundamental fazer o que agora faço.

Tive uma conversa de hora e meia (com a vossa jornalista) com a preocupação de contribuir de forma construtiva para que a abordagem de um assunto tão complexo fosse feita com realismo, informação adequada e dignidade. Perdi cerca de vinte minutos com as fotografias…

Se fosse apenas pela fotografia não me daria ao trabalho de lhe escrever (apesar de ter a certeza absoluta que, de tantas que foram tiradas, haveria muitas em que eu não aparecia “decapitada” com mais espaço de parede do que de imagem). O que mais me preocupa, contudo, não é isto, mas o facto de que o que me é atribuído em termos de opinião, está descontextualizado e, assim dito, perde o sentido. Não foi, decerto, por falta de espaço, pois aquele que é ocupado pela “parede” da minha fotografia, daria para escrever muito mais.

Para não perder tempo e só para exemplificar a descontextualização, pego no destaque, referindo que o que disse, na conversa, foi que em 1973, a Associação Psiquiátrica Americana excluiu a homossexualidade da lista de transtornos/ perturbações e que este assunto foi politizado, servindo, hoje em dia, campanhas, face às quais sou contra, como o casamento ou a adopção por homossexuais.

Expliquei variados aspectos sobre a personalidade, as características das relações, a forma como pode ser dada ajuda, enfim um enorme conjunto de conteúdos relevantes que não foram minimamente valorizados.

Não disse que segui 4 casos. Disse que, recentemente, segui 4 casos, pois, ao longo da minha vida profissional, já acompanhei bastantes mais.

Antes de ser terapeuta familiar, sou psicóloga (licenciada pela Faculdade de psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa) e isso nem sequer é referido.

Pela consideração que tenho e pela credibilidade que atribuo à revista que V. Ex.ª dirige, decidi enviar-lhe este reparo.

Este é um mau trabalho, omisso e, pela parte que me toca, incorrecto. Se tanto ia ser omitido e deturpado, deviam ter-me enviado o texto antes de ser publicado e eu não teria permitido a sua publicação (nem da fotografia nem das referências que me são atribuídas).

Apesar de nem sempre o que é publicado na comunicação social corresponder exactamente ao que foi dito, é a primeira vez que estou a perder tempo (duplamente, pois já o havia feito no dia do encontro com a jornalista), após ter saído uma entrevista minha numa revista ou jornal, no sentido de procurar remediar/ clarificar, de alguma forma, (mesmo sabendo que isso já não é possível) o que foi escrito.

Mais (e fico-me por aqui) – o procedimento ainda foi mais inqualificável do que a reportagem traduz. De facto, fui pressionada veementemente pela jornalista por causa das datas. Tinha muita pressa e disse-lhe que procurasse outra pessoa para entrevistar, pois eu não tinha disponibilidade antes da data que lhe propus (já foi há tanto tempo que já nem me recordo exactamente). Finalmente encontrámos uma data compatível com ambas e, passou mais de um mês sem que qualquer satisfação me tivesse sido dada sobre o motivo pelo qual não era publicada a reportagem.

Agradeço que proceda à publicação deste meu reparo.

Quero deixar claro que não pretendo, de nenhuma forma, que a profissional responsável por este trabalho seja, de qualquer modo prejudicada. O que não posso permitir é que a minha imagem seja, desta ou de qualquer outra maneira, posta em causa,

Com os melhores cumprimentos.

Margarida Cordo


Muito obrigado pela Tua disponibilidade.

Um abraço

André

11:24 da manhã  
Blogger Webmaster disse...

Obrigado pelo esclarecimento André. Espero que este teu comentário possa de algum modo remediar a situação.

Um abraço.

2:16 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Afinal a homosexualidade é doença ou não?

8:00 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial