Bruno Nogueira

Blog sobre o grande (enorme) Bruno Nogueira, o melhor humorista português de todos os tempos! Neste blog iras encontrar sobre o "Bruninho", desde fotos, vídeos do levanta-te e ri onde participou e outros, saber todas as novidades! Este é um blog para todos os fans do Bruno Nogueira.

quarta-feira, janeiro 31, 2007

Parabens ao Bruno Nogueira

Faz hoje 25 anos que em São Sebastião da Pedreira, Lisboa, nasceu para o mundo o grande Bruno Nogueira, que com toda a sua inteligência e sentido de humor, ao qual alia o seu talento natural para fazer rir os outros, se transformou numa referência para muitos portugueses.

A ele e em nome de todos os fans: Parabéns "Bruninho"!

PS: Esperamos que a ida ao dentista tenha sido pacifica.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Bruno Nogueira volta ao São Luiz em Maio

Bruno Nogueira voltará ao São Luiz com o seu espetaculo a solo "Sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura" a 17 de Maio, até lá, vai andar em tournée pelo país dentro, com datas e locais ainda não definidos.

Os bilhetes para o regresso já estão à venda para mais informações e antes que esgote:
Todos os dias, das 13h00 às 20h00.
Rua António Maria Cardoso 38
Tel. 21 325 7650

sábado, janeiro 20, 2007

Bruno Nogueira - Humor ao vivo no S. Luiz

Com piadas sobre o quotidiano ou simples devaneios, o humorista promete fazer rir as pedras da calçada num espectáculo a solo no São Luiz, em Lisboa. Se correr mal, avança: “Não comprometo ninguém”.

Naquela noite o músculo da criatividade foi deitar-se mais cedo. Às tantas, Bruno Nogueira insistiu em acordá-lo. Depois de três horas seguidas a escrever, já nem a barra do Word a piscar conseguia ver. Os últimos três meses e meio de vida não terão sido muito diferentes da noite de 4 de Dezembro de que o humorista dá conta no blogue ‘Corpo Dormente’.

“Porque uma pedra no caminho pode não ser só uma pedra no caminho”, como diz, Bruno Nogueira passou os últimos tempos a escrever sobre banalidades, ‘fait-divers’ e coisas que nem ao diabo lembra. Os textos, as conclusões, os desabafos e os devaneios de horas, dias, semanas e meses sem dormir podem agora ser escutados pela voz do próprio no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa, no espectáculo ‘...Sou do Tamanho do Que Vejo e Não do Tamanho da Minha Altura’, em cena até ao próximo dia 27 de Janeiro.

Para ver estão quase dois metros de Bruno Nogueira, em carne e osso, sem personagens na manga. Para ouvir está uma hora de espectáculo onde é possível encontrar um bocadinho de tudo: crítica social, crítica política e muito ‘no sense’ à boa maneira do humorista. “Falo de situações comuns do dia-a-dia ou então de minhas viagens que não têm nada a ver com a realidade”, explica o actor.

A tarefa de escrever, no entanto, não foi fácil. Por vezes, foi mesmo dolorosa, ainda que parte dos textos tenha contado com a ajuda de João Quadros. “Estive três meses e meio a escrever textos e a pensar neles, a redigir e a deitar-me fora de horas, até aperfeiçoar”, conta. “Saber que temos de acordar para escrever comédia é uma coisa muito rotineira. Observar tudo e todos às vezes é muito chato. Aquela coisa de achar que tudo pode ter graça pode ser muito aborrecido.”

A verdade é que quem está de fora, a rir, mal imagina o esforço que dá fazer piadas com piada. “As pessoas não têm noção do trabalho que dá escrever comédia. Quando ia ao ‘Levanta-te e Ri’ muita gente pensava que eu fazia aquilo de improviso. A verdade é que para apenas dez minutos de programa eu chegava a estar duas semanas e meia a trabalhar.”

Por outras palavras, não é fácil escrever sobre comédia porque nem toda a gente ri da mesma coisa. Bruno Nogueiro sabe-o e diz estar preparado para ir lidando com os momentos menos bons do espectáculo e aqui ou ali ir adaptando a prosa. “Temos de contar com isso. Quando há uma piada que ninguém ri temos de tentar dar a volta ao texto para que ninguém perceba.”E do mal o menos: mais ninguém está envolvido. “Resta-me essa tranquilidade de espírito. Se isto der para o torto é problema meu. Se isto não resultar as consequências serão só para mim, porque não está mais ninguém metido nisto.”

TEXTO TEVE APROVAÇÃO DE RUEFF

Para além de Bruno Nogueira e de João Quadros, os autores do texto, só uma pessoa teve o privilégio de ouvir o monólogo antes do grande público: Maria Rueff. Nos últimos três meses e meio, a namorada de Bruno Nogueira funcionou assim como uma espécie de conselheira humorística. “Fui-lhe mostrando os textos ocasionalmente e as críticas foram surgindo”, conta Bruno Nogueira. “É sempre bom termos a ajuda de quem percebe como as coisas funcionam.

Quanto mais gente pudermos ouvir, melhor.” A verdade é que Rueff – Bruno Nogueira conheceu-a durante a peça ‘Avalanche’ (o namoro terá começado aí) – foi mesmo a única a ouvir o texto em primeira mão. Refira-se, de resto, que da ‘turma’ do ‘Levanta-te e Ri’, ninguém teve direito a antestreia.

Perfil:
Nascido em Lisboa a 31 de Janeiro de 1982, Bruno Nogueira é humorista, actor e apresentador de televisão. Os fãs do programa ‘Levanta-te e Ti’, transmitido pela SIC, conhecem-no bem. Num célebre aniversário do canal de Carnaxide referiu-se a Pinto Balsemão como “o senhor do bolo”.

O facto é que a SIC nunca mais o largou. Foi apresentador do ‘talk show’ ‘Curto Circuito’, na SIC Radical, do programa ‘O Pior Condutor de Sempre’, na generalista, e participou em ‘Manobras de Diversão’. Entrou na peça ‘Portugal: Uma Comédia Musical’ e no filme ‘Sorte Nula’.
Autor: Miguel Azevedo
Fonte: CM

Bruno Nogueira - Humor ao vivo no S. Luiz

Com piadas sobre o quotidiano ou simples devaneios, o humorista promete fazer rir as pedras da calçada num espectáculo a solo no São Luiz, em Lisboa. Se correr mal, avança: “Não comprometo ninguém”.

Naquela noite o músculo da criatividade foi deitar-se mais cedo. Às tantas, Bruno Nogueira insistiu em acordá-lo. Depois de três horas seguidas a escrever, já nem a barra do Word a piscar conseguia ver. Os últimos três meses e meio de vida não terão sido muito diferentes da noite de 4 de Dezembro de que o humorista dá conta no blogue ‘Corpo Dormente’.

“Porque uma pedra no caminho pode não ser só uma pedra no caminho”, como diz, Bruno Nogueira passou os últimos tempos a escrever sobre banalidades, ‘fait-divers’ e coisas que nem ao diabo lembra. Os textos, as conclusões, os desabafos e os devaneios de horas, dias, semanas e meses sem dormir podem agora ser escutados pela voz do próprio no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa, no espectáculo ‘...Sou do Tamanho do Que Vejo e Não do Tamanho da Minha Altura’, em cena até ao próximo dia 27 de Janeiro.

Para ver estão quase dois metros de Bruno Nogueira, em carne e osso, sem personagens na manga. Para ouvir está uma hora de espectáculo onde é possível encontrar um bocadinho de tudo: crítica social, crítica política e muito ‘no sense’ à boa maneira do humorista. “Falo de situações comuns do dia-a-dia ou então de minhas viagens que não têm nada a ver com a realidade”, explica o actor.

A tarefa de escrever, no entanto, não foi fácil. Por vezes, foi mesmo dolorosa, ainda que parte dos textos tenha contado com a ajuda de João Quadros. “Estive três meses e meio a escrever textos e a pensar neles, a redigir e a deitar-me fora de horas, até aperfeiçoar”, conta. “Saber que temos de acordar para escrever comédia é uma coisa muito rotineira. Observar tudo e todos às vezes é muito chato. Aquela coisa de achar que tudo pode ter graça pode ser muito aborrecido.”

A verdade é que quem está de fora, a rir, mal imagina o esforço que dá fazer piadas com piada. “As pessoas não têm noção do trabalho que dá escrever comédia. Quando ia ao ‘Levanta-te e Ri’ muita gente pensava que eu fazia aquilo de improviso. A verdade é que para apenas dez minutos de programa eu chegava a estar duas semanas e meia a trabalhar.”

Por outras palavras, não é fácil escrever sobre comédia porque nem toda a gente ri da mesma coisa. Bruno Nogueiro sabe-o e diz estar preparado para ir lidando com os momentos menos bons do espectáculo e aqui ou ali ir adaptando a prosa. “Temos de contar com isso. Quando há uma piada que ninguém ri temos de tentar dar a volta ao texto para que ninguém perceba.”E do mal o menos: mais ninguém está envolvido. “Resta-me essa tranquilidade de espírito. Se isto der para o torto é problema meu. Se isto não resultar as consequências serão só para mim, porque não está mais ninguém metido nisto.”

TEXTO TEVE APROVAÇÃO DE RUEFF

Para além de Bruno Nogueira e de João Quadros, os autores do texto, só uma pessoa teve o privilégio de ouvir o monólogo antes do grande público: Maria Rueff. Nos últimos três meses e meio, a namorada de Bruno Nogueira funcionou assim como uma espécie de conselheira humorística. “Fui-lhe mostrando os textos ocasionalmente e as críticas foram surgindo”, conta Bruno Nogueira. “É sempre bom termos a ajuda de quem percebe como as coisas funcionam.

Quanto mais gente pudermos ouvir, melhor.” A verdade é que Rueff – Bruno Nogueira conheceu-a durante a peça ‘Avalanche’ (o namoro terá começado aí) – foi mesmo a única a ouvir o texto em primeira mão. Refira-se, de resto, que da ‘turma’ do ‘Levanta-te e Ri’, ninguém teve direito a antestreia.

Perfil:
Nascido em Lisboa a 31 de Janeiro de 1982, Bruno Nogueira é humorista, actor e apresentador de televisão. Os fãs do programa ‘Levanta-te e Ti’, transmitido pela SIC, conhecem-no bem. Num célebre aniversário do canal de Carnaxide referiu-se a Pinto Balsemão como “o senhor do bolo”.

O facto é que a SIC nunca mais o largou. Foi apresentador do ‘talk show’ ‘Curto Circuito’, na SIC Radical, do programa ‘O Pior Condutor de Sempre’, na generalista, e participou em ‘Manobras de Diversão’. Entrou na peça ‘Portugal: Uma Comédia Musical’ e no filme ‘Sorte Nula’.
Autor: Miguel Azevedo
Fonte: CM

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Bruno Nogueira - Bilhetes Esgotaram


(Clicar na imagem para ampliar)

Ficamos a saber antes de ontem atrávês da Antena 3, no Programa Prova Oral, que os bilhetes para o espetaculo do Bruno Nogueira estão já esgotados, mas como nos conta o texto que se encontra em baixo escrito pelo Pedro Miguel Paiva, autor e produtor de programas para televisão, entre os quais o Curto-Circuito onde o Bruno Nogueira foi apresentador, o espetaculo irá voltar na Primavera, e antes disso o nosso Bruninho vai andar em digressão.

Assim que forem oficiais iremos colocar aqui, as datas e os locais da digressão.

"Este rapaz não anda a dormir...

Não anda, não senhor!

Ontem tive o enorme prazer de assistir à estreia de Bruno Nogueira a solo: "Sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura" - assim se chama o momento de humor que nos traz um Bruno mais maduro e livre de qualquer espartilho televisivo.

São perto de 75 minutos de puro ácido humurístico que nos faz rever em muitos momentos o patetico ser mesquinho que existe em cada um de nós.

O show está bom, o texto escrito a meias entre o Bruno e João Quadros - que encontra no Bruno o perfeito megafone para as suas caricaturas sociais - está quase no ponto. Digo quase porque precisa das naturais afinações de ritmo que os próximos espectáculos vão concerteza permitir afinar.

Aliás, saí do São Luiz com vontade de voltar a assistir a este show daqui a umas semanas. Quando o Bruno afinar rapidamente o ritmo este texto será poderoso.

Há momentos no texto e na performance do artista que roçam já a perfeição.
A melhor descrição metafórica que vos posso dar deste espectáculo é a seguinte: imaginem o Bruno, num palco, com uma granada na mão. O rapaz vai mimando a granada e olha para o público que se encontra na expectativa de saber o que vai ele fazer com ela. Num segundo o homem tira a cavilha e lança a granada para o meio do público e assiste à explosão da mesma impávido e sereno. No momento seguinte, paraliza, encolhe os ombros com desprezo e tira de imediato outra granada do bolso.

É assim que faço a interpretação deste show, que aconselho vivamente a quem gosta de um bom texto de stand up e claro a qualquer um de vós que gosta do Bruno num registo solto, descomprometido e carregado de humor que tira literalmente o sono a qualquer um.

No final, tive oportunidade de receber do Bruno a melhor notícia: os espectáculos para o São Luiz já estão esgotados, vai partir depois em tourné regressará com o show a Lisboa pela Primavera. Boas notícias.

Já vai longe o dia em que lançamos o Bruno no CC com a esperança de o ver crescer muito como cara da televisão. O percurso do rapaz tem, a partir desse momento trilhado, um rumo sólido. Espero que a sua estadia entre nós tenha sido muito mais do que uma ponte para o futuro. Tenho a certeza que sim. A amizade, essa, ficou de pedra e cal.

Do CC para o Bruno... um Grande Abraço."

Autor: Pedro Miguel Paiva
Fonte: Blog do CurtoCircuito

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Bruno Nogueira na Prova Oral - Antena 3

O Bruno Nogueira esteve ontem no programa Prova Oral da Antena 3 a fazer a divulgação do seu espetaculo a solo: "Sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura", para quem não pode ouvir o programa aqui deixamos essa oportunidade a todos os fans, carregando simplesmente nos botões em baixo.




Apresentação do Bruno Nogueira no Blog da Prova Oral:
"Bruno Nogueira começou a crescer desenfreadamente a 31 de Janeiro de 1982 - está quase a fazer anos, preparem as flores e os postais queriduchos de peluches e fins de tarde alaranjados, vá -, passou pelo «Curto-circuito», pelo «Levanta-te e Ri», pelas «Manobras de Diversão», isto em televisão, pelas peças «Portugal: Uma Comédia Musical», «Antes Eles do que Nós» e «Avalanche», pelo filme «Sorte Nula» - sempre a crescer, sempre a crescer, o raio do rapaz, até à menina dos seus olhos, a recém-estreadíssima peça a solo «Sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura», primeiro no São Luiz e a partir do mês que vem em digressão por todo o país (rima e é verdade)."
Agradecimentos: Antena 3 e ao Blog Prova Oral

sábado, janeiro 13, 2007

As manobras a solo do grande Bruno Nogueira


(Clicar na imagem para ampliar)

As manobras a solo do miúdo Bruno Nogueira.

Sou Do Tamanho Do Que Vejo E Não Do Tamanho Da Minha Altura. É este o título do novo espectáculo - o primeiro a solo - do humorista Bruno Nogueira, que estreou quinta-feira passada no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa. O nome, foi buscá-lo a um poema de Alberto Caeiro (heterónimo de Fernando Pessoa) porque lhe pareceu que "encaixava na perfeição". Pudera. Os seus 1,94 metros não passam despercebidos a ninguem. E as brincadeiras em torno da sua altura são recorrentes.

A ideia de fazer um espectáculo de stand-up comedy totalmente a solo, que lhe trouxesse maior liberdade para abordar os temas, surgiu-lhe há muito tempo. "Na televisão estamos sempre limitados. Tinha vontade de fazer um espectáculo ao meu gosto, em que pudesse dizer tudo aquilo que bem quisesse e me apetecesse."

E é exactamente isso que Bruno Nogueira faz em Sou Do Tamanho... Sem quaisquer problemas nem receios de ferir susceptibilidades, o humorista fala abertamente de hábitos quotidianos e quase insignificantes dos portugueses - como a mania que as mulheres têm de tirar pontos negros ao namorados na praia, o consumo compulsivo de Ben-U-Ron, porque cura tudo, ou as pessoas que dizem "champom" (em vez de champô), e "taxe" (no lugar de taxi). E trata com a mesma aparente ingenuidade questões mais sérias, como o 11 de Setembro, a fome em África, ou a Igreja Católica. Já para não falar na crítica mordaz a certas figuras públicas, por si frequentemente massacradas: Carlos Castro, Cláudio Ramos, Delfins ou Maya.

Foi há quatro meses que Bruno Nogueira mergulhou, com João Quadros, na elaboração dos textos de Sou Do Tamanho... Um caminho percorrido com insegurança, nervos, muitos rabiscos e páginas deitadas fora. "É horrível, porque eu e o João [Quadros] somos os juízes de nós próprios. É difícil saber de que é que as pessoas gostam. Há muitas coisas que relemos e depois já não achamos piada. Então deitamos fora, depois vamos buscar outra vez, a seguir escrevemos coisas novas."

No Jardim de Inverno, Bruno surge no seu estilo inconfundível. O ar sempre sério, quase inexpressivo, sisudo até, de quem parece não ter consciência do que diz. O mesmo ar com que, em 2003, se referiu a Pinto Balsemão como "o senhor do bolo", na festa de aniversário da SIC.

"O meu humor é forçosamente, ingenuamente forte. Acho que, às vezes, tenho a brutalidade das crianças, que nem se dão conta do que estão a dizer." Postura que resulta, certamente, do trabalho exaustivo sobre os textos - "depois de estar tanto tempo a escrever já nem me dou conta do que é forte ou não" - mas que, sobretudo, lhe surge com muita naturalidade. "Isso é mesmo meu, não é personagem. Não sou uma pessoa que se ria muito, nem que seja muito expressiva de corpo." Na primeira vez que fez stand-up, "talvez pelos nervos", surgiu-lhe aquela maneira de dizer os textos. E ficou. Assim, sem ser forçado. "Não estive à frente do espelho a preparar uma meneira de dizer o texto, sinto-me confortável assim."

Sou Do Tamanho..., (que fica no São Luiz até dia 27, de quinta a sábado, a partir da meia-noite) debruça--se sobre "os temas que fazem comichão no céu da boca dos nervos" de Bruno Nogueira. Pergunta inevitável: que temas são esses? "Quando falo da fome em África, por exemplo, vejo que há muita hipocrisia. Gosto de ver como é que o cérebro das pessoas funciona para que digam que se preocupam (porque é bem visto a nível social), mas na realidade não façam nada. E depois ainda se ofendem quando se brinca com isso. Faz-me muita comichão."

Bruno Nogueira lançou-se sem rede neste projecto. Daí os "muitos nervos" que diz ter. "Fiz questão de não testar o espectáculo para ser tão surpreendido com as reacções como o público com as piadas. Normalmente testa-se estes espectáculos para se ir mais confortável para o palco. Mas foi uma opção minha e estou muito satisfeito."
Autora: Mariana Carvalho
Fonte: DN

quinta-feira, janeiro 04, 2007

Bruno Nogueira a Solo - O bilhete

O pessoal aqui do blog já tem o bilhete e tu já tens o teu? Bruno Nogueira a solo a não perder!

(Clicar na imagem para ampliar - http://cebolinha.blog.com/)